sexta-feira, 29 de junho de 2012

Esperando pelo Super Homem / Waiting for Superman (2010)

(EUA, 2010, 111 min. - Direção: Davis Guggenheim)
Um filme que todo educador (ou burocrata da educação) deveria assistir. O sistema público de ensino nos EUA está a pique, gerações inteiras irão se perder.
Crianças sendo afastadas de oportunidades de vida, ficando vulneráveis ao que uma existência sem estudos pode acarretar. O documentário mostra que a receita para mudar os péssimos resultados das escolas públicas é simples: maior carga horária, mais salas de aulas por alunos, mais motivação aos professores.

Mas apesar de ser simples, tem-se que lutar contra o sistema... Há grandes exemplos dos que desafiaram esse sistema em locais onde o nível de aprendizado o mais baixo da região, onde era quase impossível levar algum aluno à Universidade, conseguiu-se que mais de 90% dos seus alunos conseguissem esse feito.

10 comentários:

Anônimo disse...

Baixando e semeando... Tomara que mais pessoas façam o mesmo.

Igor Fioli disse...

http://www.youtube.com/watch?v=wovV2O_t0gw

Anônimo disse...

Eu não acho que deixar as crianças mais tempo na escola seja bom.. tem várias questões em jogo, como o sistema educacional e a necessidade de as crianças terem " mais tempo de pais em casa"...

Vinicius L. disse...

Um ponto importante que deveria ser visto é como o sistema de ensino funciona como uma fabria de pessoas. É sofrido ver essas crianças perdendo a infancia pra se dedicar aos estudos, e os jovens perdendo a sua capacidade politica de luta e transformação da sociedade ao mesmo tempo que precisam se dedicar a esse sistema de alienação "intelectual". Comparar a educação a 50 60 anos atras com a de hoje não faz sentido, pois o tempo passa e a carga de conhecimento que temos que carregar sobre os sombros aumenta, assim como as responsabilidades politicas e sociais deixadas por nossos pais. A juventude esta sendo massacrada por esse sistema educacional, que só pode ser ajustado com uma reforma atraves da educação libertaria.

“O planeta não precisa de mais ‘pessoas de sucesso’. O planeta precisa desesperadamente de mais pacificadores, curadores, restauradores, contadores de histórias e amantes de todo tipo. Precisa de pessoas que vivam bem nos seus lugares. Precisa de pessoas com coragem moral dispostas a aderir à luta para tornar o mundo habitável e humano, e essas qualidades têm pouco a ver com o sucesso tal como a nossa cultura o tem definido.” Dalai Lama

Anônimo disse...

Farmageddon – filme de Kristin Canty sobre a guerra do agrobusiness contra os pequenos e médios agropecuaristas e contra a liberdade alimentar nos EUA

http://imediata.org/?p=2088

http://www.youtube.com/watch?v=5uah8LBUbfc

- disse...

Educação e seus dilemas.

palestrino eterno disse...

o filme mostra uma contradição desse blog( que o melhor da internet)pois mostra que simplesmente a culpa do fracasso da educação esta nos professores, mas leva em conta todo o descaso social mesmo nos USA falta de saude, educaçao, emprego, oportunidades... que tambem sao determinantes para o fracasso escolar. E no Brasil que temos ainda a questao da violência, e falta de motivação e perspectiva da mudança social através da educação nas classes mais baixa. E por final defende esse filme a privatização da educação, ou dinheiro publico para os setores privados administrarem o que e muito mais grave.

João Coimbra disse...

Esse filme não vale nada, fez parte da campanha que o governo americano está fazendo para privatizar o ensino público. Empresas privadas e governantes autoritários estão de olho nos ganhos que podem auferir com isso

Anônimo disse...

acho uma grande estupidez colocar a culpa em professores e sindicatos. francamente, os eua colocando a culpa em professores como ja se faz aqui no brasil. pra melhorar a educaçao em qualquer lugar precisamos e acabar com as desigualdades sociais. dar a todos a mesma oportunidade. e acabar com esta caça predatoria que existe no mercado de trabalho e na sociedade em geral. a sociedade americana e uma das mais tapadas do mundo em assuntos politicos e permanecem com preconceitos de seculos. 1/3 da populaçao americana e racista, o povo de la so enxerga o proprio umbigo e tem uma politica intervencionista que desfalca paises de todo o mundo. o eleitor americano nao é muito diferente do eleitor brasileiro. francamente, um pais que acha que a capital do brasil é buenos aires, que acha que aqui fala espanhol e que acha que o pais inteiro e floresta amazonica? é ridiculo, nós sabemos mais do pais deles do que eles do nosso, e isso nao é so resultado de falta de investimentos na educaçao. tbm é resultado de um pais que cria gnt pra se achar a melhor do mundo, gnt que vive pra competir e fazer guerras sempre que for conveniente,e acima de tudo gnt discrimina seus proprios pares, pois nao podemos nos esquecer que la fica uma das sociedades mais racista do mundo e onde foi criada uma sociedade secreta que existe ate hoje que atende pelo nome de ku klus klan. quer melhorar a educaçao: transforme seu pais num lugar de seres humanos que se amam sem distinçao de qualquer tipo, que investe na formaçao moral e etica de pessoas preparadas para transformar o mundeo num lugar melhor para se viver. quem diz isso é paula freire e tem toda a razao. ate mesmo o clooney é contra este espirito competitivo dos americanos e diz que voce deve fazer algo de util para mudar o mundo e critica tbm a alienaçao americana em relaçao a politica. ele nem precisa disso mas mesmo assim usa sua fama pra ajudar quem mais precisa com sua ong "not on our watch" que visa ajudar pessoas marginalizadas e deslocadas no continente africano. as pessoas so podem ser melhor educadas quando sao ensinadas que todos merecem as mesmas oportunidades e quando lutamos para tratar todos indistintamente.

Anônimo disse...

O que aprendi, definitivamente, vendo o filme: independente de qualquer coisa, é possível promover educação de qualidade. Basta vontade.